A warrior to the end: Dilma Rousseff a sinner and saint in impeachment fight


Oi Apolo,


Tudo bem?


Aqui é a Shanna do jornal inglês The Guardian, nos falamos agora pouco por telefone. Estamos fazendo uma matéria sobre a crise política, e queria lhe fazer algumas perguntas sobre a Presidente Dilma.


1) Quando e porque as coisas começaram a dar errado para o mandato da Dilma?

Treze anos de exercício do poder por um mesmo grupo é naturalmente desgastante. A entropia é uma lei universal, trazendo a desorganização dos sistemas como inerente ao processo evolutivo, gerando crise por incapacidade de gestão da complexidade do próprio desenvolvimento. São crises cíclicas. O arquétipo citado na Bíblia conhecido como a "confusão na comunicação" na construção da Torre de Babel é o que contece agora aqui no Brasil. Fenômeno natural do desenvolvimento social.


2) Quais são as qualidades boas e os pontos fracos da Dilma, como pessoa e como presidente da República?

Dilma tem firmeza e determinação, tem disciplina, mas paradoxalmente é uma má gestora, como está deixando claro em suas pegadas na Petrobrás e no governo federal. Isto porque seu pensamento está estruturado com premissas do pensamento newtoniano e marxista clássicos. Ela não compreende nem age com base nas inter-relações macro e sistêmicas do novo mundo que emerge rapidamente dos conflitos da globalização, do crescimento da velocidade tecnológica e das descobertas associadas às leis da relatividade e da microfísica quântica do início do século XX.


3) A Dilma diz que ela foi tratada pior por ser mulher. Você concorda?

Não concordo, isto é apelação, uma tentativa de vitimização, usando a seu favor, de forma enviesada, um preconceito. Em 2010 ela teria sido eleita por ser mulher? A rejeição atinge a todo o PT e ela é parte deste contexto.


4) Algumas pessoas criticam a Dilma dizendo que ela não se comunica bem, e que não constrói alianças com facilidade. Você concorda?

Realmente, se comunica muito mal. Quanto às alianças, conservou as alianças feitas por Lula mas sem o jogo de cintura dele, pois é mais rígida em termos de comportamento ético. E mais inábil também na arte da negociação. Num certo momento do primeiro mandato tentou assumir uma postura anti-corrupção mas se chocou com a realidade herdada do que foi plantado por seu antecessor e criador. As raízes da corrupção eram profundas e sistêmicas, será que ela sabia pouco a respeito? Por exemplo, que seu próprio partido, ao qual chegou somente depois do ano 2000! (o PT foi fundado em 1979/1980), era a coluna vertebral do esquema de propinas que sangrava a Petrobrás? Esquema que associava a Petrobrás, o PT, o PMDB, o PP e outros partidos e as grandes empreiteiras do Brasil, descoberto pela Operação Lava Jato?


5) Porque você acha que ela está sendo tirada do poder?

A oposição articulou e se aproveitou das denúncias de corrupção. O Judiciário é uma sistema viciado, fundado em privilégios, em nepotismo e com ranços feudais. Mas tem também pessoas diferenciadas que surgem conforme as circunstâncias e quando isto acontece têm amplo apoio popular. O PSDB de FHC, de Alckmin, de José Serra e do ex-candidato Aécio Neves começou a estimular o "terceiro turno" e este movimento cresceu paralelamente às denúncias da Lava Jato e com grande cobertura da grande mídia comercial brasileira, sobretudo a televisão. Este processo foi crescendo e ao lado da crise econômica recessiva com desemprego, alta inflacionária, elevados juros e uma dívida pública que sangra os esforços do trabalho dos brasileiros, levou o governo à lona, por esta associação entre crise econômica e denúncias intensas de corrupção, algo seletiva, mas não importa. O PT abusou da intimidade com seus ex-adversários ideológicos alojados em partidos com outras histórias desde a ditadura civil-militar com os quais se mesclou despudoradamente, usando os mesmos métodos.


6) Como você acha que a Dilma será lembrada na história?

Como a primeira mulher eleita Presidente do Brasil, após ser ex-presa política torturada. As acusações de corrupção ficarão desbotadas, amortecidas, mesmo porque ela pessoalmente não se beneficiou financeiramente.


Muito obrigada Apolo! Qualquer coisa, estou à disposição!


Um abraço,


Shanna


Abaixo o link da entrevista publicada pelo jornal inglês The Guardian com parte do que foi enviado acima durante a entrevista.

https://www.theguardian.com/world/2016/may/09/dilma-rousseff-brazil-impeachment-fight-congress-vote